Menu

0. Atrativos Turísticos

Os textos abaixo são de autoria de Eliezer Ortolani Nardoto. As fotos, em sua grande maioria, são de autoria do mesmo autor. Também cederam fotos para esse site os fotógrafos Edson Martins e Mário Mendes. Há ainda algumas fotos do saudoso fotógrafo Érico Hauschild pertencentes ao acervo do autor dos textos.

01. Igreja Velha

É uma ruína de uma igreja projetada para ser a maior de todas da cidade de São Mateus. O início de sua construção é do segundo quartel do século XIX. O plano gigantesco da obra e os poucos recursos levaram os vereadores da época (1853) a desistirem desse projeto.Sua alvenaria é de pedras e a argamassa feita com areia, óleo de baleia e cal extraído de conchas torradas e moídas. Grande parte das conchas era extraída de sambaquis da região costeira.
Os recursos para ela destinados pela Câmara Municipal foram aplicados no término da reforma da Igreja Matriz de São Mateus.
A dificuldade em se obter pedras, que eram trazidas da Bahia nos lastros dos navios, levou muitos administradores a retirarem dos alicerces e das paredes dos fundos da Igreja Velha as pedras para as edificações em São Mateus.
Alguns moradores mais antigos informam que essa igreja seria dedicada a São Brás ou a São Gonçalo.

Ladainha da Igreja Velha

Igreja Velha, sem santos, sem sinos,
Igreja Velha, sem cantos, sem luz,
Igreja Velha de tantos destinos,
Igreja Velha, sem rezas, sem cruz.
 
Igreja Velha relembra o passado,
Igreja Velha decora o presente,
Igreja Velha, oh! Templo sagrado,
Igreja Velha, relíquia da gente.

Igreja Velha pintada nas telas,
Igreja Velha inspirando os artistas,
Igreja Velha, sem flores, sem velas.

Igreja Velha primeira em idade,
Igreja velha atração dos turistas,
Igreja Velha da nossa cidade,

Majella

02. Igreja Matriz

Localizada na Praça Municipal, Centro de São Mateus, essa igreja foi construída pelos jesuítas anteriormente ao ano de 1764, pois serviu de referência, naquele ano, para as medições das ruas da Vila de São Mateus.
Muitas reformas e modificações nela foram realizadas. Depois de um incêndio no altar-mor, no ano de 1949, um novo altar foi construído, seguindo as linhas do anterior.
Em 1959, com a criação da Diocese, passou a ser denominada "Catedral de São Mateus", permanecendo assim até o ano de 1989, quando foi inaugurada a nova catedral. Para as adaptações necessárias ao serviço episcopal, sofreu reformas que não levaram em conta a sua importância como patrimônio histórico. É que, na época, pouca importância se dava a esse assunto.
Nessa reforma foi retirada a parte interna do altar, onde se colocavam as imagens, para a colocação da cátedra. Foi construído um anexo no lado esquerdo para abrigar a nova sacristia e foram retirados os altares laterais de Nossa Senhora da Penha e de Nossa Senhora Auxiliadora, além de todas as imagens de santos que ficavam expostas nas paredes laterais.
No ano de 2002, sob a administração do pároco Emílio Gonzàlez Escalada e iniciativa e supervisão deste autor, o altar foi reconstruído. Na parede do altar-mor foi resgatada a pintura da obra “Os anjos da Matriz”, do pintor Ciro Sodré, encoberta por várias demãos de tintas aplicadas nas últimas décadas. A restauração foi realizada pelos artistas plásticos Renato Rangel e David Gomes.
No ano de 1977, com a morte de Dom José Dalvit, primeiro bispo de São Mateus, seu corpo foi sepultado no interior dessa igreja, sob a torre.

03. Catedral de São Mateus

Localizada na Avenida João XXIII, foi inaugurada em 28 de maio de 1989. Em sua arquitetura se parece com uma tenda, simbolizando "a Tenda de Deus que vem morar conosco".
O moderno e espaçoso templo apresenta, no seu interior, belíssimas pinturas sacras de Cláudio Pastro: O Crucifixo, o Cordeiro Pascal, A mulher vestida de sol, o Anjo de São Mateus, A história do Evangelista Mateus, A História de São Benedito, O Rio Cricaré e as pinturas da capela do Santíssimo Sacramento.
Foi construída no governo episcopal de Dom Aldo Gerna, segundo bispo da Diocese de São Mateus.

04. Igreja de São Benedito

Construção jesuítica localizada na praça do mesmo nome, no Centro. Provavelmente foi construída no início do século XVIII. Até o final do século XIX era chamada de capela de Nossa Senhora do Rosário. No século XX passou a ser conhecida como Igreja de São Benedito.
Na Igreja de São Benedito são realizadas durante o ano celebrações afros, sendo a mais importante a do dia 27 de dezembro, feriado municipal e dia em que se festeja o santo protetor dos pobres.

05. Mosteiro Beneditino da Virgem de Guadalupe

Situado às margens da BR 101, km 67,5 (em frente à sede da Petrobrás), foi inaugurado em 27 de fevereiro de 1994. Nesse ano se comemorou o V Centenário da Evangelização da América Latina, cuja padroeira é a Virgem de Guadalupe. Por isso foi a ela dedicado.
O público pode ter acesso à capela quando as monjas deixam a clausura para as orações do Ofício Divino, atualmente chamado de Liturgia das Horas.
Todos os dias se celebra a santa missa, às 7 horas. Aos Domingos, a Missa é celebrada às 8 horas, com canto Gregoriano.
No seu interior há uma grande pintura do artista plástico Cláudio Pastro. O altar é de blocos de granito, como também todo o seu entorno. Cada peça tem uma simbologia particular ligada ao catolicismo.

06. Museu de São Mateus / Casa de Câmara e Cadeia

Situado na Praça Municipal, Centro, o prédio foi construído a partir de 1764 para abrigar a sede do Conselho Municipal - Casa de Câmara e Cadeia.
Até a primeira metade do século XX, na parte superior desse prédio funcionava a Prefeitura e a Câmara Municipal e na inferior, a cadeia. Nas proximidades ficava o Pelourinho.
Em 1999, na administração do prefeito Rui Carlos Baromeu Lopes, o prédio que ainda abrigava repartições da prefeitura, foi desocupado e restaurado para abrigar o Museu de São Mateus.
Sob a coordenação deste autor foi montado esse museu que foi inaugurado no dia  3 de fevereiro de 2001, na administração do prefeito Lauriano Marco Zancanela.
No térreo estão expostas ferramentas e utensílios, peças da escravidão e também ossadas indígenas e urnas funerárias de cerâmica de origem tupi e aratu.
No andar superior estão expostos móveis do século XIX, louças e quadros com personagens da história e com fotografias antigas.

07. Museu da Imagem e do Som (MIS)

Situado num casarão do Sítio Histórico do Porto de São Mateus, nele estão expostos instrumentos musicais e fotografias de vários aspectos da história e da cultura do município.
Foi montado sob a coordenação deste autor e inaugurado no dia 2 de fevereiro de 2002, na administração do prefeito Lauriano Zancanela.

08. Sala Ciro Sodré

A Sala Ciro Sodré é um espaço para exposição de trabalhos artesanais e pinturas. Foi reaberta no ano 2004, sob a orientação da então Secretária Municipal de Cultura Herinéa Lima Oliveira, no andar térreo do sobrado do Museu da Imagem e do Som,  no Porto de São Mateus.

09. Museu Eclesiástico de Arte Sacra

Está localizado na antiga capela do Seminário, na Avenida João XXIII, nº 586, ao lado da Catedral de São Mateus. Lá se encontram expostas imagens sacras dos séculos XVII, XVIII, XIX e XX, além de vários outros objetos sacros, vestes sacerdotais e episcopais e fotografias dos vários aspectos da história da igreja católica em São Mateus e municípios do norte capixaba.
O museu pertence à Diocese de São Mateus e é administrado pela Prefeitura.
Foi inaugurado no dia 20 de setembro de 2002.

10. Casa da Estrada de Ferro

Localizada na Rua Barão dos Aymorés, Centro, próximo ao Fórum, serviu de sede para o escritório da Estrada de Ferro São Mateus-Nova Venécia até a década de 40 do século XX.
Serviu de sede, também, para a Coletoria Estadual.
Foi restaurada no ano de 1999, no governo do prefeito Rui Baromeu, com recursos da Petrobras, para ser sede de um grande Museu com a história do petróleo.
Depois de reformado foi emprestado por um determinado tempo para ser sede da Justiça Federal, enquanto se construia sua sede própria. Depois foi emprestado para a Justiça Eleitoral até a construção de sua sede própria.
No governo do prefeito Lauriano Zancanela passou a abrigar repartições da prefeitura e PROCON, desviando de sua destinação como prédio histórico.

11. Marco de Fundação da Vila

Está situado no início da ladeira Comendador Reginaldo (que liga o Porto à Praça Municipal). Trata-se do marco de demarcação das terras compreendidas entre as quatro léguas em quadro, doadas para o patrimônio e rendimento do Conselho, conforme Carta Régia de 03 de março de 1755. Existe um outro igual do outro lado do rio.

12. Prédio do Antigo Fórum

Esse prédio foi construido pelo Governo do Estado, no segundo mandato do governador Jones dos Santos Neves (1951-1955). O estilo de sua construção é o neoclássico e sua cor original era branca.
Na administração do prefeito Wallas Batista de Oliveira (1985-1988) foi ampliado, com participação da prefeitura, obedecendo as suas linhas arquitetônicas originais.
No ano de 2007, todas as atividades do poder judiciário foram transferidas para o novo prédio construído na Av. João Nardoto, no bairro Forno Velho.

13. Biquinha

Localizada na Avenida Cricaré, perto da Ladeira do Besouro, integra o Patrimônio Histórico de São Mateus. Trata-se de um reservatório com um sistema de captação de águas de nascentes localizadas no sopé da encosta do vale do rio São Mateus, nos terrenos da Catedral.Foi construída em 1880 para levar, por gravidade, água potável para o chafariz do Porto.

14. Praça do Mirante

Praça do Mirante localiza-se ao lado do Museu Municipal, no Centro de São Mateus. A grande Caixa D´água ali existente foi construída em 1945 pelo Governo do Estado, no primeiro mandato do governador mateense Jones dos Santos Neves.
Dessa praça se contempla a paisagem mais bela de São Mateus, o Vale do Cricaré. O pôr-do-sol e as noites de lua cheia proporcionam uma visão maravilhosa do rio que serpenteia no vale.

15. Cemitério Central

A construção do cemitério do Centro de São Mateus data da segunda metade do século XIX.
Os túmulos das pessoas mais importantes eram esculpidos por artistas, na Itália, em blocos de mármore de Carrara. Os mais importantes e de maior trabalho artístico são os túmulos do Coronel Antonio Rodrigues da Cunha, que era Comendador e Cavaleiro das Ordens Imperiais da Rosa e da Cruz, o túmulo do primeiro juiz de Direito de São Mateus e o túmulo da família Silvares.

16. Quitungo da Aracruz

Na década de 1980 a Gerência da Aracruz Celulose, sediada em São Mateus, adquiriu dois velhos quitungos que estavam desativados ha muitos anos.
Um foi adquirido na localidade de Queixada, município de Conceição da Barra e o outro na região de Santa Leocádia, município de São Mateus.
Juntando peças de um e de outro, montou-se um quitungo completo, inclusive com uma bolandeira (grande roda dentada puxada por animais para mover o rolete de ralar mandioca).
No ano de 2006 o quitungo foi novamente restaurado inclusive para funcionamento na fabricação de farinha. Em 2007, a Aracruz Celulose concedeu uma licença para os “Laudêncios”, como são conhecidos os irmãos da família Santos, moradores da comunidade Bom Pastor, venderem ali seus beijus e outros derivados da mandioca e produtos diversos da agricultura orgânica que praticam. Graças ao sistema de revezamento adotado por essas famílias, a comercialização desses produtos acontece durante toda a semana, em todos os meses do ano.
Ele está localizado na Av. Dom José Dalvit, no bairro Santo Antonio, em São Mateus.

17. Farinheiras - Quitungos

Encontram-se às dezenas, espalhadas pelo município de São Mateus. Introduzidas nos períodos Colonial e Imperial do Brasil, mantidas pelo trabalho escravo, foram responsáveis pela posição de destaque ocupada pelo município a nível nacional, nos tempos da exportação da farinha de mandioca, nos séculos XIX e XX.
Os beijus mais famosos são os fabricados pela família dos "Laudêncios", muito conhecidos no Mercado Municipal de São Mateus. São várias gerações que mantiveram a tradição da fabricação do beiju, ainda com técnicas do tempo da escravidão.
O acesso à Comunidade é feito por uma estrada que se inicia no Km 80 da BR 101.

18. Mercado Municipal

O Mercado Municipal Wilson Gomes foi construído pela Prefeitura, no final da década de 1960, na gestão do prefeito Wilson Gomes. No final da década de 1970, na gestão do prefeito Guálter Nunes Loureiro, foi ampliado.
No ano de 2004, na administração do prefeito Lauriano Zancanela, a prefeitura iniciou a obra de sua ampliação e modernização. Em Setembro de 2005 foi reinaugurado e entregue aos comerciantes.
No mercado se encontra uma grande variedade de temperos e condimentos, artigos de madeira e palha, cestos dos mais diversos tamanhos, além de produtos para elaboração dos principais pratos da gastronomia típica de São Mateus.

19. Sítio Histórico do Barão dos Aymorés

Esse sítio está localizado às margens do rio São Mateus, na cachoeira do Cravo, próximo ao Km 41 da rodovia São Mateus-Nova Venécia. Escolhido na segunda metade do século XIX, pelo barão dos Aymorés, para sede de sua fazenda, esse local tinha represa, Casa Grande, comércio e uma ponte sobre o rio para dar acesso ao lado norte, onde ficava a senzala.
A casa de comércio era ponto de compra e venda de mercadorias de toda a região oeste de São Mateus (atual região do distrito de Nestor Gomes e do município de Nova Venécia), principalmente depois da chegada dos italianos em 1888. Na parte inferior da casa, construída às margens do rio, foram instaladas as moendas que o barão importou da Escócia. No local, ainda resistem ao tempo parte da represa, a casa de comércio e de máquinas e a casa do coronel Cunha Júnior (Antonio Rodrigues da Cunha Júnior).
A ponte foi reformada pela prefeitura e perdeu muito de sua característica original. A antiga casa construída pelo barão não existe. No mesmo local foi construída a casa do seu filho, restaurada pelos atuais proprietários.

20. Porto de São Mateus

Denomina-se Sítio Histórico do Porto de São Mateus o conjunto de prédios construídos às margens do rio São Mateus, a partir do final do século XVIII, sendo sua maioria do século XIX. Originalmente sua construção era em alvenaria de pedra, com as paredes internas e laterais em estuque (taipa).
A construção desses prédios deu origem a um grande aglomerado de casas em torno de um largo que servia como terreiro para a carga e descarga dos navios que aportavam em São Mateus.
Situado na parte baixa da cidade, tem como acesso a Ladeira São Benedito, Ladeira São Gonçalo, Ladeira Comendador Reginaldo, Ladeira do Besouro e Escadaria Ítalo Ribeiro Júnior.
Os prédios foram construídos no estilo colonial português. O andar térreo era destinado ao funcionamento do comércio. Os andares superiores eram destinados à residência dos comerciantes portugueses. São construções tipicamente burguesas.
O Porto reflete a importância do município de São Mateus no século XIX, como pólo exportador de farinha, açúcar, café e madeira da região. No início do século XX instalaram-se também comerciantes de origem libanesa, no Porto de São Mateus. Depois vieram alguns imigrantes italianos.
Desde o início da colonização até o final da década de 1930, o transporte de cargas e passageiros era realizado apenas por meio de navios que faziam suas viagens para Vitória, Rio de Janeiro e Salvador. Esse movimento tornava o porto fluvial de São Mateus um importante pólo comercial na costa brasileira.
Com a abertura da estrada de rodagem ligando São Mateus a Linhares (1937/38), o Porto foi perdendo sua importância e o comércio passou a ser instalado na parte alta de São Mateus, ficando os casarões, por muito tempo (até 1966/67), entregues às prostitutas que mantinham ali seus cabarés. Foi na década de 70 que ocorreu o tombamento pelo Conselho Estadual de Cultura, dando início a sua restauração. O calçamento das ruas era feito com pedras marroadas vindas da Bahia.

21. Roteiros Turísticos

Os roteiros deverão ser previamente agendados.
Informações na Secretaria Municipal de Turismo - 3767-8898

Roteiro Histórico
Localização: Centro São Mateus
Atrativo: Sítio Histórico Porto, Ruínas da Igreja Velha, Museus e Igrejas.

Roteiro do Beiju
Localização: Br 101 Sul até comunidade Bom Pastor (de negros tradicionais).
Atrativos: Quitungo, trilhas, cultura e suas manifestações, agricultura orgânica e passeio de carroça, beiju quentinho,comida caseira,sucos naturais fazem parte deste circuito

Roteiro do Orquidário
Localização: São Mateus a Nova Venécia
Atrativo: Orquidário, Fábrica de Biscoito e Cachoeira Boa Vista do Córrego da Areia.

Roteiro da Batalha
Localização: Pedra D’água, Rio Preto, Meleira e Barreiras.
Atrativo: História da Batalha, trilha, bares e restaurantes, (pastel de siri, moquecas), Fábrica de goiabadas, pescarias e passeio de canoa.

Roteiro do Siri e do Caju
Localização: Barra Nova
Atrativo: Trilhas, Casa do Peão, Praia, Manguezal, passeios de barco, banhos de mar e de rio, pescarias, moqueca capixaba, camarão a milanesa e outras iguarias da gastronomia mateense.

Roteiro Sol e Praia
Localização: Rodovia Othovarino Duarte Santos, a 12 km de São Mateus, estrada asfaltada de fácil acesso.
Atrativos: Portal, Cascata, Capelinha, Projeto Tamar, Tapiocaria, Guriri Beach (parque aquático), Manguezais, praias.

Home | Topo

                   

Home | Jornal | Turismo | História | Geografia | Cultura | Economia | Memorial | Notícias | Contato Visite